Jovem cai em golpe e perde R$ 10 mil em compra de moto

1.230 views

Depois de ver um anúncio da venda de uma motocicleta em um site da internet, o jovem M.B., 18 anos, que trabalha em uma fazenda no município de Alto Alegre, entrou em contato com o suposto vendedor, e decidiu fechar negócio. O que ele não imaginava é que se tratava de um golpe, tendo um prejuízo de R$ 10 mil.

M.B. disse que entrou em contato com o vendedor e acertou a compra da motocicleta, sendo que o valor teria que ser pago à vista. “Fui muito ingênuo em não desconfiar que seria um golpe, até porque esse golpista envolve a gente de um jeito que não imaginei que ele fosse me enrolar. Ele ainda me mandou um vídeo da moto, falando meu nome e as características do veículo. Eu acreditei”, relatou.

Ele disse ainda que, ao demonstrar o interesse em fechar a compra da motocicleta, o golpista pediu para ele ir a uma casa lotérica e fazer a transferência do valor. “O golpista me passou quatro números diferentes de contas bancárias. Fui na loteria e paguei. Após isso, ele me passou o nome de uma mulher que seria servidora do Detran-RR e que eu procurasse por ela, que me entregaria a documentação da moto no meu nome. Tudo mentira”, lamentou M. B.

“Eu sou do município de Uiramutã, mas trabalho em uma fazenda em Alto Alegre. Trabalhei tanto para economizar esse dinheiro, pensando em comprar um veículo para mim, e acontece tudo isso. “Estou muito triste. Não sei nem o que fazer”, ressaltou o jovem.

FIQUE ATENTO

Não é de hoje que estelionatários utilizam imagem e nomes de servidores do Detran-RR (Departamento Estadual de Trânsito de Roraima) para aplicar golpes, por meio de sites e de redes sociais. Sobre essa prática, o diretor do Departamento, Álvaro Duarte, faz um alerta à população.

“Os estelionatários utilizam sites e grupos de compra e venda, além de redes sociais. Ou seja, não marcam encontros presenciais, sendo todo o contato feito pela internet. Esse não é o primeiro caso e não será o último, então peço que a população fique atenta a esse tipo de crime. Não faça a transferência de dinheiro e também peça para ver o veículo de maneira presencial”, orientou Álvaro Duarte.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saber mais

Pular para o conteúdo