44 pessoas morreram no trânsito nos três primeiros meses deste ano

254 views

O trânsito em Roraima terminou os três primeiros meses deste ano com 652 acidentes, sendo que em Boa Vista foram registrados 548. Os dados são da Seção de Estatística, do Departamento Estadual de Trânsito de Roraima (Detran-RR).

Em se tratando de número de vítimas fatais, em janeiro, fevereiro e março do ano passado, morreram 28 pessoas e, no mesmo período deste ano, já foram registradas 44 mortes. Um aumento de 57,1%.

Das 44 vítimas fatais no trânsito roraimense, 18 morreram na capital boa-vistense, 12 nas rodovias federais, 11 nas rodovias estaduais e 03 no interior do Estado.

Do total de mortes em Roraima, no primeiro trimestre deste ano, 21 eram motociclistas, 02 garupas, 07 condutores de veículo, 03 passageiros, 05 pedestres e 05 ciclistas. Os homens lideram o ranking de vítimas fatais com 33 mortos. Entre as mulheres, 11 vieram a óbito.

IDADE DAS VÍTIMAS

Em janeiro, fevereiro e março deste ano, quem mais morreu no trânsito foram pessoas com idade entre 30 a 35 anos, com um total de 09 mortes. De 42 a 47 anos foram 06; de 36 a 41 foram 05; de 18 a 23, de 48 a 53 e de 60 ou mais foram 04 mortes, em cada faixa etária.

Se cada um fizer sua parte, haverá redução de acidentes de trânsito, diz Detran


Presidente do Detran-RR, Álvaro Duarte: “Estamos trabalhando, conforme o Pnatrans” (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)


Em março deste ano, o Governo do Estado e o Detran-RR se comprometeram com a Senatran (Secretaria Nacional de Trânsito), assinando o Termo de Compromisso que vai implementar o Pnatrans (Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito) em Roraima.

O presidente do Detran-RR, coronel Álvaro Duarte, disse que a proposta do Pnatrans é diminuir em 50% os índices de acidentes de trânsito com vítimas fatais e lesões até o ano de 2030. “Para alcançarmos essa meta, estamos trabalhando na conscientização dos motoristas, para que respeitem as regras de trânsito, com o objetivo de termos um trânsito mais civilizado e mais urbanizado em todo o Estado. O trânsito depende da ação do motorista, de sua conscientização em respeitar o próximo, estar atento as regras de trânsito, a sinalização e outras situações”, ressaltou.

Ele afirmou que se cada um fizer sua parte, haverá uma diminuição efetiva de acidentes de trânsito. “Temos trabalhado em três pilares, que é a educação, a conscientização e a fiscalização. Quanto a esse último ponto, a população tem que entender que é necessária essa atuação do Detran, para coibirmos os maus motoristas, aqueles que desrespeitam as regras de trânsito”, esclareceu o presidente.

Duarte enfatizou que a assinatura do compromisso com o Pnatrans é importante, por envolver a sociedade em um objetivo comum a todos, sobre a redução dos acidentes para salvar vidas. “Estamos empenhados nesse trabalho, unindo a educação para o trânsito e a presença da fiscalização de trânsito pelas ruas da cidade e rodovias estaduais”.

PNATRANS

O Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões e Lesões no Trânsito (Pnatrans) foi criado pela Lei 13.614/2018, e traz 154 ações prioritárias que estimulam a redução pela metade do número de mortes e lesões. O plano foi reforçado em 2021, quando foram incorporados conceitos de visão zero e sistemas seguros, abordagens que partem do princípio de que a responsabilidade por evitar mortes e feridos no trânsito é compartilhada entre quem utiliza, projeta, constrói e fiscaliza os veículos e as vias públicas.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saber mais

Pular para o conteúdo